fbpx

Tecnologia, empreendedorismo e comunicação em tempos difíceis: um bom projeto resolve tudo?

De repente você resolve empreender: tem uma ótima ideia, que pode ter surgido há pouco ou, quem sabe, já estava na gaveta havia algum tempo. 

Bom, fato é que isso mudou e agora você quer colocar sua ideia em prática. Muita energia envolvida! Capacitação, estudos de mercado, elaboração do projeto, planejamento financeiro, plano de negócios… ufa! 

Aos poucos, felizmente tudo vai se desenrolando e você começa a ver seu negócio finalmente tomar corpo e as perspectivas são as melhores. Com tudo isso acontecendo, é bem provável que você tenha deixado de lado um item fundamental: a comunicação, o conteúdo do seu projeto.

Não é nada incomum que as pessoas suponham que os clientes vão ler exatamente aquilo que eles, os empreendedores, acham que estão dizendo. Mas, não é bem assim. Conversar com seu cliente é a coisa mais importante que você tem a fazer depois de oferecer o produto que ele precisa. 

E conversar é uma arte, seja com quem você conhece, com quem você quer conhecer, com seu cliente, com seus investidores. Conversar é um grande prazer, mas é uma arte também. 

Levando isso em consideração, pare para pensar um pouquinho agora: você já sabe como conversar com seus clientes? Ou melhor, você está conversando mesmo com seu cliente?

Conversar não é falar sozinho. Conversar implica ter o outro por perto. Aliás, se a gente for ver a origem dessa palavra, de acordo com o dicionarioetimologico.com.br ”Conversare vem da raiz verso, que significa voltar, virar ou direcionar para algum lado. O prefixo com- vem de cum, que significa junto com ou na companhia de alguém.“ Quer dizer, originalmente, conversar implica direcionar sua atenção para outra pessoa. 

E quando a gente para pra pensar, é capaz de nem acreditar que está deixando passar algo tão importante quanto direcionar a atenção ao cliente. Mas isso é muito comum, infelizmente. 

E não é por falta de profissionalismo ou interesse. Muito pelo contrário. Na maioria das vezes, é preciso aparecer um problema (em geral, um grande problema) para que as empresas e os empreendedores entendam que quem está do outro lado faz mais do que simplesmente comprar ou contratar serviços.

Seu cliente tem uma vida, você sabia? E por algum motivo, ele quer o seu produto ou serviço na vida dele também. Que tal levar isso em conta na hora de construir seu site, de mandar e-mails, fazer promoções. Sim, porque a conversa pode acontecer em uma infinidade de lugares tanto no mundo real quanto no mundo virtual. 

Um bom atendimento é uma conversa, uma tabela de preços bem pensada é uma conversa, um vídeo que você poste ou uma mensagem de WhatsApp, também. Só pra ficar em poucos exemplos.

Empreender é saber conversar, sempre. Em tempos difíceis e inesperados como o que estamos vivendo, conversar, entender as necessidades dos clientes e as nossas capacidades de atendê-los – e mantermo-nos firmes, juntos, o quanto for preciso –, é fundamental. A tecnologia é o meio através do qual temos condições de nos aproximarmos de nossos clientes e também de firmar novas parcerias.

Empreender também é se reinventar. Assim, se em seu projeto até hoje o uso inteligente da tecnologia ou a conversa ficaram em segundo plano, agora (ou nunca mais) é a hora de mudar esse rumo.

Mas, este artigo precisa responder uma pergunta, afinal de contas, estamos conversando! Para um bom projeto basta uma boa ideia? Falando sério? Não. Um bom projeto envolve uma série de questões e saber como utilizar a tecnologia para conversar com seu cliente é uma delas. 

Por Naia Veneranda

Naia Veneranda é jornalista, tradutora e professora, com especializações na área de Letras e Comunicação Digital. É idealizadora do programa De Olho na Rede, voltado a comunicação e marketing digital. Mestranda em Estudos da Tradução, também se dedica a projetos de Literatura e Escrita e à produção de conteúdo para sites e blogs.

https://www.linkedin.com/in/naia-veneranda-849bb526/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *