fbpx

Em Março de 2020 a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou Pandemia de Covid-19, com isso, no Brasil, os Governos Estaduais e Municipais passaram a decretar estado de quarentena. A partir daí, começamos a conviver com as consequências da chegada da nova doença no nosso país.

Cenários e previsões

A previsão de um cenário sanitário em crescente escalada de contaminação das pessoas levando o sistema de saúde rumo ao colapso, o que de fato ocorreu com o passar dos meses, milhares de pessoas foram infectadas e infelizmente grande parte acabou perdendo a vida.

No campo econômico, um cenário complexo, com grande parte de empresas, comércios e escolas proibidos de abrir e gerar entradas e saídas financeiras.

No começo, tudo era incerteza, parecia que as coisas caminhariam para um bloqueio total das atividades, e sem limite de tempo para terminar. Frente a todos esses cenários, se que criou um grande processo de aceleração do uso de tecnologia.

Tecnologias

A tecnologia foi a grande arma para o enfrentamento e adaptação ao “novo normal”, cito alguns exemplos de uso tecnológico como:

  • A Telemedicina que já existia e foi ampliada, ajudando em muitos diagnósticos e tratamentos precoces não só de Covid-19, mas também de outras doenças;
  • O Home Office, que passou a ser a principal via de trabalho de muitas empresas, que se quer um dia pensaram em utilizar desse modelo de produção, onde muitos otimizaram seu tempo e muitas empresas passaram a produzir mais;
  • O aumento de demanda por banda larga não só para o lazer, mas principalmente para melhor comunicação e integração com sistemas de automação e segurança eletrônica. Essas tecnologias que passaram a ser ainda mais convergentes e necessárias no dia a dia.
  • A migração de muitas empresas para mundo virtual, onde suas ações foram direcionadas para a web e principalmente para as Redes Sociais, fazendo com que suas vendas se mantivessem e, em muitos casos, alavancaram seus negócios.

Temos muitos exemplos de que a tecnologia foi e é fundamental para o novo momento.

Com o passar dos meses, e conforme a queda da curva no número de casos, houve um movimento mundial de flexibilização das quarentenas. Mesmo com todas as restrições existentes, grande parte da população passou a entrar um processo de volta ao “antigo normal”, retomando as atividades praticamente da forma como eram feitas antes da Pandemia.

Em Outubro de 2020, a Europa e os Estados Unidos passaram a sinalizar o mundo com uma nova crescente do aumento no número de infectados pelo Coronavírus, caracterizando o início de uma Segunda Onda de contaminação do Coronavírus nessas regiões. Ambas regiões estão passando pelo período de Outono/Inverno.

Segunda onda

Pela experiência que tivemos nesse ano de 2020, é preciso considerar a possibilidade de uma Segunda Onda de Coronavírus no Brasil, uma vez que ainda não temos no mundo até a data de hoje, uma vacina 100% testada e com eficácia comprovada e homologada pelos órgãos competentes.

Se a Segunda Onda chegar ao Brasil, sua empresa está tecnologicamente preparada para um novo momento de adaptações?

É preciso considerar a implantação e ou reimplantação do Home Office. Para isso, será necessário preparar os ambientes com infraestrutura básica de hardware, software e banda larga para o funcionamento dos equipamentos. Também adaptar sua empresa para o mundo virtual, inserindo-a e aprofundando as atividades na Web e Redes Sociais, melhorando a identidade visual e planejamento das ações de vendas e marketing da sua empresa.

Quem não estiver tecnologicamente preparado para uma possível Segunda Onda do Coronavírus no Brasil, ficará para trás.

Bons negócios e Pra Cima Deles!

Por Fabio Cometti

Especialista em Formação de Carteiras de Clientes, Gestão de Equipes e Estratégias Comerciais.
linkedin.com/in/fabiocometti

By rt360