fbpx

O governo de São Paulo anunciou no início desta terça-feira, 22 de dezembro, que todo o estado vai voltar para a fase mais firme de Controle da Pandemia, a fase vermelha.

A medida será aplicada somente entre os dias 25 e 27 de dezembro e dias 1 e 3 de janeiro de 2021. Mas pode ser o indício de que se as coisas não melhorarem, teremos um Janeiro com mais dias em fase vermelha.

Nessas datas de fase vermelha, funcionarão somente os serviços essenciais e todo o resto do comércio e as demais atividades estarão fechadas.

Empresas de Segurança Eletrônica, Telecomunicações, Redes, Internet e Construção Civil podem optar por seguir com suas atividades.

A venda de produtos e ou contratação de serviços, é possível pois “contratante/contratada” estão resguardados pela Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020:

“ O Governo Federal, através da Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, definiu os serviços públicos e as atividades essenciais, e entre todos os serviços listados no Artigo 3° da Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, estão listados os serviços dos mercados de tecnologia e construção civil, são os itens III,VI e LIV:

III – atividades de segurança pública e privada, incluídas a vigilância, a guarda e a custódia de presos;

VI – telecomunicações e internet;”

LIV – atividades de construção civil, obedecidas as determinações do Ministério da Saúde; e (Incluído pelo Decreto nº 10.342, de 2020)”

Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/decreto/D10282.htm

O que vai fechar na fase vermelha?

– Shoppings, comércios e galerias;

– O consumo em bares e restaurantes é proibido;

– Salões de beleza e barbearias;

– Eventos, convenções e atividades culturais suspensos;

– Atividades que geram aglomeração;

– Academias de esportes e centros de ginástica;

O que funciona na fase vermelha?

– Tecnologia: Empresas de Segurança Eletrônica, Telecomunicações, Redes e Internet;

– Saúde: hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, lavanderias e estabelecimentos de saúde animal;

– Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres. É vedado o consumo no local;

– Bares, lanchonetes e restaurantes: permitido serviços de entrega (delivery) e que permitem a compra sem sair do carro (drive thru). Válido também para estabelecimentos em postos de combustíveis;

– Abastecimento: cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção;

– Logística: estabelecimentos e empresas de locação de veículos, oficinas de veículos automotores, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos;

– Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais;

– Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens;

– Construção civil e indústria;

Fonte: https://www.saopaulo.sp.gov.br/ultimas-noticias/governo-de-sp-anuncia-novas-restricoes-para-conter-pandemia-2/

Vamos manter o foco, mais do que nunca, todos precisarão da tecnologia para atravessar mais esse momento.

Por Fabio Cometti

Especialista em Formação de Carteiras de Clientes, Gestão de Equipes e Estratégias Comerciais.
linkedin.com/in/fabiocometti

By rt360