fbpx

Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Por Fernando Calil

Provavelmente muitos não conheçam a música que tem a frase acima. Ela foi composta em 1968, por Vandré, e se tornou um “hino” contra a ditadura militar, a frase “… quem sabe faz a hora, não espera acontecer…” tem muito a ver também com o mundo corporativo.

Em um ambiente empresarial, normalmente encontramos dois tipos de profissionais.

O primeiro grupo é composto de profissionais que fazem certo a coisa, ou seja, são eficientes, produtivos e se esforçam muito para fazer o que foi determinado com o mínimo de recurso possível. São profissionais importantes na operação, no dia a dia da empresa, porém contribuem muito pouco estrategicamente para a empresa.

O segundo grupo, em contrapartida, são compostos de profissionais eficazes, onde o foco principal é fazer a coisa certa em não simplesmente executar. Esses profissionais são responsáveis pela definição de qual caminho seguir.

A eficácia esta relacionada a ter escolhas e toda escolha vem acompanhada de no mínimo uma renúncia. Para fins de analogia, podemos dizer que a eficiência é cavar, com perfeição técnica, um poço artesiano; eficácia é encontrar a água. E nessa analogia as vezes tomar a decisão de cavar em outro lugar é “…fazer a hora e não esperar acontecer…”

por Fernando Calil

Gerente de Canal Varejo e Distribuição – Brasil

Especializado no departamento comercial (Vendas, Marketing e Inteligência Competitiva), principalmente no mercado de IoT, Automação Residencial e Materiais Elétricos.

Engenheiro de Produção formado na POLI – USP com MBA em Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas.

Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *