fbpx

Panorama do Mercado: Wallace Rodrigues

Coronavirus, impactos nas redes de dados

Há pouco tempo eu descrevi, em um artigo aqui na RT360 sobre o que, na minha visão, seria o motor dos negócios no mundo. Eu falava sobre informação, dados!!
(Veja no link o artigo. https://revistatecnologia360.com.br/mundo-dos-negocios-versus-trafego-de-dados-e-privacidade-corporativa/ ).

 Em tempos de home office e coronavirus, experimentamos um crescimento vertiginoso do trafego de dados na rede mundial de computadores.
Tenho vivido muitos anos envolvido com tecnologias de ponta e, para mim, é comum discutir sobre trafego de dados e os cuidados que devemos ter ao fazê-lo.
Essa realidade não é a mesma para 80% dos empresários e pessoas que estão vivendo suas vidas, agora dentro de seus lares tendo que manter os negócios em andamento.

O mundo foi surpreendido pelo evento do coronavirus que obrigou muitas empresas a continuar produzindo porem remotamente. Foi então que a maioria dos empresários se deram conta que não tinham (e não tem) um plano de contingência ou plano de garantia de continuidade dos negócios.

Os gestores necessitaram, de um dia para o outro, adquirir ou locar milhares de note books, os distribuidores não estavam preparados para tal demanda, a alternativa foi adquirir o bom e velho desktop.
Em alguns casos ainda foi necessário criar uma logística para enviar as próprias workstations da empresa para as casas de seus funcionários para que os trabalhos não fossem interrompidos.

 Para casos de empresas que não estavam preparadas e que ainda necessitam de implantar home office, existem soluções de rápida implementação. Com demanda de trabalho remoto onde os seus funcionários que lidam com dados sensíveis/confidenciais, existem soluções de access point que possuem funcionalidades de segurança, cria VPN, promove acessibilidade com portas UTP e WiFi, SDWAN, com gerenciamento centralizado e auto configurável. Ou seja, o funcionário recebe um Access Point e já chega em casa com toda a política de segurança, acesso a rede embarcado no AP.

Ainda assim essa infraestrutura utiliza a rede internet do local e, aliado a um sistema de colaboração (sistema VoIP, vídeo e acesso a dados via VPN), se transforma em um verdadeiro escritório em casa.
O que gera um tipo trafego que irá exigir bem mais de sua Internet.

Esse movimento para home office, gerou um fluxo bastante expressivo no trafego de dados nas operadoras de serviços de internet, dado ao aumento exponencial de acesso diário e constante nas redes.
Esse fenômeno não foi diferente com as operadoras de telecomunicações moveis.
O comportamento do consumo de banda sofreu alterações drásticas, pois o tráfego corporativo reduzido e foi deslocado para o consumo doméstico, ocorrendo um aumento do consumo de banda principalmente em aplicações de transmissão em peer, bem como de redes sociais.

Conforme noticiado largamente, na Europa o Netflix já está utilizando algoritmos para otimizar o consumo sem prejudicar a experiência do usuário.
Um exemplo no Brasil, a globo cancelou programação 4K, de forma a reduzir o consumo de banda.

Com o COVID-19 um movimento dos fabricantes de sistemas de colaboração, Cisco, Microsoft, Google, disponibilizaram de forma gratuita as licenças de utilização dessas ferramentas.  

Essa ação memorável dos fabricantes contribui muito para a  adoção da tecnologia, e certamente com um reflexo direto no consumo de dados residenciais. Estima se que o tráfego de dados esteja crescendo de 30% a 40%.

Certamente muitas ações já estão sendo realizadas pelas operadoras para que a rede mundial de computadores não entre em colapso total. Entendo que existe também uma forma de vermos isso como um impacto positivo, pois investimentos deverão ser realizados para promover a estabilidade e a melhoria da infraestrutura.

Consolidando então a mudança de conceito desde a forma de adoção do trabalho até de adoção de tecnologia.
É a chance do mercado assumir definitivamente o “DIGITAL”, com as soluções a distância como ensino, medicina, trabalho, suporte, sem se esquecer da segurança da informação. As tecnologias estão aí, é necessário planejar e implantar de acordo com a capacidade e demanda de cada um.
Procure ajuda para atender suas demandas, elas estão cada vez mais simples de implementar.

É sempre importante lembrar que tenham cautela com a saúde pessoal e dos seus, afinal de que adianta tanta tecnologia se não estamos aí para usufruir delas.

Sejam pacientes, cuidem de suas mentes e sejam resilientes, com planejamento correto conseguiremos superar essa situação. 

Mais uma opinião

Por Wallace Rodrigues Wanderley 

Especialista no mercado TIC, no desenvolvimento de modelos e estratégias de negócios em telecomunicações, FTTH, infraestrutura de TI e CFTV. Engenheiro de Telecom/Inatel.
Business Manager | Negócios
linkedin.com/in/wallacerw