fbpx

Estudo calcula que a Califórnia pode economizar 250 bilhões de litros de água, por ano, com usinas flutuantes.

A instalação de painéis solares em superfícies aquáticas tem como benefício esperado a redução da perda de água, uma vez que cria sombras e forma-se uma espécie de escudo que bloqueia a evaporação. Consequentemente, quando implantadas em barragens hidrelétricas, aumenta o potencial de geração de energia. A dupla vantagem foi recentemente confirmada por pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, nos Estados Unidos. 

O estudo – realizado em parceria com a UC Water e o Sierra Nevada Research Institute na UC Merced – sugere que cobrir a rede de 6.350 de quilômetros de canais artificiais de distribuição de água da Califórnia com painéis solares pode ser um meio economicamente viável de promover a energia renovável e a conservação da água. A Califórnia tem especial interesse no assunto pelas constantes secas hídricas vivenciadas no estado.

Buscando quantificar os benefícios potenciais, o grupo realizou uma análise hidrológica complexa usando dados de satélites, modelos climáticos e estações meteorológicas automatizadas para modelar e comparar as taxas de evaporação em locais de canais em todo o estado, com e sem sombra de painéis solares. O cálculo aponta que a implementação de painéis solares sobre canais pode economizar 240 bilhões de litros de água anualmente, ao mesmo tempo em que fornece aproximadamente 13 gigawatts de energia renovável para o estado.

A pesquisa estima que o custo adicional para construir as estruturas em cima dos canais não só é compensado financeiramente como indica maior retorno sobre o investimento. Também pode evitar custos associados ao uso do solo. Além disso, a análise também aponta vantagens pouco imaginadas, como o fato da sombra dos painéis solares ajudar a controlar o crescimento de ervas daninhas aquáticas.

Outro exemplo interessante é que cada megawatt de energia solar produzido nos canais do Vale Central da Califórnia tem o potencial de substituir de 15 a 20 bombas de irrigação movidas a diesel, ajudando a reduzir a poluição em uma região com uma das piores qualidades do ar do país. Ou seja, são vários benefícios combinados que tornam os “canais solares” financeiramente viáveis e benéficos ambientalmente. 

Projetos-piloto no estado indiano de Gujarat, na Índia, já demonstraram, anteriormente, a viabilidade técnica de vários projetos do tipo, mas nenhum ainda foi implementado em escala.

O artigo dos estudiosos da Universidade da Califórnia foi publicado na Nature Sustainability.

fonte: Ciclo Vivo

By rt360