fbpx

“Lifelong learning” – formação continuada

Por Adalberto Bem Haja

Cada dia mais, os processos de trabalho, modelos de negócios e a relacionamento entre as pessoas estão evoluindo em um ritmo muito acelerado. Com isso, passa quase ser obrigatório nos destacarmos em meio todas essas transformações. 

Nesse ambiente o “lifelong learning” se faz presente, mas o que é isso e como aplicar em nossas vidas.

Buscar o aprendizado continuado ao longo da vida, nos mantermos estudando e se desenvolvendo constantemente. Aquela coisa de sempre dormir com ao menos um aprendizado novo em relação seu conhecimento quando acordou, isso é lifelong learning.

O modelo tradicional de educação não é mais suficiente para nos preparar para ser destaque. Um século atrás, levaria 35 anos para que o aprendizado obtido por um engenheiro quando concluído sua formação fosse substituído. Na década de 60, esse período caiu para apenas 10 anos e as estimativas recentes apontam que entre 3 a 5 anos, 50% do aprendizado universitário obtido por um engenheiro em sua formação, já é substituído por novos conceitos, modelos e tecnologias.

E isso é ruim? Devemos desanimar das formações superiores? De forma alguma, mas é obvio que apenas estudar por um pequeno período de sua vida, não fará você se destacar. A busca por conhecimento continuado e por toda a vida, é sim obrigatório. 

Então, vamos para algumas dicas:

Seja mais como as crianças, que fazem perguntas o tempo todo, precisamos gostar de perguntar a todos e sobre tudo. Desafie o estado normal das coisas, experimentando coisas e modelos novos.

Sejamos protagonistas. Faça parte de grupos de estudos e busque ter conexões sempre com os especialistas de cada tema de interesse. Cultive ao máximo seu networking, participando de eventos, congressos, fóruns. Troque ouvir aquela rádio que só tem notícia ruim e passe a ouvir podcasts que lhe agreguem novos conhecimentos.

Aprenda a desaprender. Sim, desaprender é muito importante e é conseguir enxergar algo que aprendemos anteriormente que agora é incorreto, ineficaz ou obsoleto. É o processo de explorar o que armazenamos em nosso sistema e excluir todos os dados desnecessários. É o processo de dizer adeus a um paradigma antigo, obsoleto e desatualizado, abraçando um novo paradigma e voluntariamente passando por uma mudança de paradigma.

Defina seus planos de ações, listando tudo em que você precisa e quer se desenvolver. Seja disciplinado, o aprendizado continuado precisa se tornar um hábito. Atualmente temos muito conteúdo disponível e de fácil acesso, estabeleça prioridades para não se perder ao meio de tanta informação. Reserve sempre alguns minutos todos dias para o aprendizado, vai em pequenas doses, mas sempre, que o resultado é surpreendente. 10 minutos por dia de pequenos aprendizados, trazem uma grande diferença de conhecimento após 30 dias.

Compartilhe os conhecimentos adquiridos. De acordo a pirâmide de William Glasser, nossa capicadade de aprendizado quando ouvimos é de 20% e ao ensinarmos é de 95%. Pratique escrever artigos, compartilhar textos, fazer conexões onde exista troca de experiências.

De acordo o Institute for the future (IFTF), até 2030, aproximadamente 85% das profissões serão novas. Então, só nos resta praticar o lifelong learning.

Por Adalberto Bem Haja

Adalberto Bem Haja, engenheiro eletrônico com MBA em gestão estratégica e econômica de negócios, empreendedor desde os 17 anos, founder e CEO da BHC Sistemas de Segurança (empresa de 12 anos no mercado), investidor anjo e mentor de algumas startups que buscam desenvolver soluções tecnológicas para o mercado de segurança.

https://www.linkedin.com/in/adalbertobemhaja