fbpx

Tecnologias digitais são aliadas importantes da agricultura; o Brasil conta, atualmente, com mais de 1.500 startups de agronegócios, chamadas agtechs.

Plataformas e conceitos de games têm sido cada vez mais utilizados para aprimorar os processos de conhecimento, produção e venda no campo. E o empreendedorismo digital nessa área está em crescimento acelerado. Segundo levantamento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), existem mais de 1500  startups de agronegócio no país, chamadas de agtechs.

Esses são dois dos temas que o AGROFUTURE SUMMIT vai discutir, entre os dias 6 e 8 de outubro. O encontro, totalmente virtual e gratuito, vai reunir especialistas de várias áreas e mostrar, além de cenários do futuro do agronegócio, como as tecnologias estão e podem ajudar do micro ao grande produtor agrícola. O objetivo do evento é fazer com que as ações e as melhores práticas nessa área sejam difundidas entre profissionais de todo o Brasil.

Matheus Ferreira, palestrante do AGROFUTURE e coordenador de inovação do sistema CNA/SENAR e do Instituto CNA, a digitalização é quase uma questão de sobrevivência. “Quanto mais houver automação de processos, melhor vai ser o sistema de produção. Não é só luxo e capricho, como pode pensar algum produtor, e a gente vê resultados muito positivos. É algo que veio para ficar”, destaca Ferreira.

Segundo o especialista,  a linguagem e as tecnologias por trás dos jogos digitais têm sido bastante usadas em aplicativos e suportes técnicos no agronegócio. “Telas mais amigáveis, textos usados no dia-a-dia e a lógica de “fases” são elementos que ajudam a agricultura para dois usos principais: o treinamento dos produtores e trabalhadores rurais em várias áreas e também a interação, principalmente, com o consumidor “da cidade”, bem  distante da rotina “do campo”.

“É importante a comunicação com a sociedade porque, diversas vezes, sofremos ataques inverídicos e distorcidos da realidade, como o uso de defensivos químicos . E a gamificação é uma das melhores formas para entrar na realidade do jovem da cidade. O desenvolvimento de games para o agro deixa a linguagem mais palatável”, afirma. O processo serve também como capacitação das pessoas, para formar produtores e trabalhadores rurais com um conteúdo mais profundo, mas usando uma plataforma mais amigável. 

Agtechs

Um suporte importante para o agronegócio são as agtechs, startups de tecnologia aplicada à agricultura. O Radar Agtech 2020/2021, pesquisa feita pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), identificou 1.574 agtechs, sendo 62,5% no Sudeste e 25,2% no Sul do país. Somente o estado de São Paulo representa 48,1% do total nacional. O Paraná vem em segundo, com 9,6% das empresas e Minas Gerais em terceiro, com 8,8% das agtechs.

Ainda de acordo com o levantamento, o investimento em novos empreendimentos tecnológicos no Brasil cresceu 17% em 2020, em relação a 2019, e chegou ao montante de US$3,5 bilhões. Desse valor, as agtechs receberam US$70 milhões. O cenário é de otimismo com as startups voltadas para o agronegócios.

No estudo da Radar, as empresas estão classificadas em três segmentos: Antes, Dentro e Depois da Fazenda. O Antes considera insumos, defensivos e conhecimento como nutrição vegetal; o Dentro considera gestão de resíduos agrícolas, economia compartilhada, conectividade e telecomunicação; e o Depois, armazenamento, logística, alimentação, venda, marketplace, restaurantes, por exemplo.

Atendimento virtual

Outra contribuição do mundo digital para a agricultura é a possibilidade de atendimento virtual. Matheus Ferreira analisa que a demanda por alimentos é crescente e o Brasil tem capacidade de atender esse mercado em ascensão. “Independemente da pandemia [da Covid-19], o mercado vai crescer bastante, a demanda vai crescer e o que vai ficar de positivo é a maior aceitação, pelos produtores, das ferramentas digitais. A metodologia de atendimento virtual deu muito certo e estamos trabalhando agora em um modelo híbrido, envolvendo redes sociais e marketplace para vender os produtos, por exemplo”, comenta.

AGROFUTURE SUMMIT

Em sua primeira edição, o Agro Future Summit é um dos maiores eventos do país voltado para inovação e tecnologia para o agronegócio. Realizado pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES, o evento terá encontros simultâneos, webinars, cursos, conteúdo ao vivo, encontros e seminários. Todo o conteúdo poderá ser acessado por meio da plataforma, pelo computador, celular ou tablet. As inscrições, que são gratuitas, podem ser feitas neste link: https://www.sympla.com.br/agro-future-summit-2021-pre-inscricao__1322832

CO-REALIZAÇÃO: O AGROFUTURE SUMMIT conta com a co-realização da FIEMG, SEBRAE Minas e Governo do Estado de Minas Gerais.