fbpx

Ter os dados certos em mãos é fundamental para o sucesso de qualquer negócio. O difícil é conseguir ter acesso a essas informações no momento mais adequado. Para capturar e analisar o oceano de dados disponível na web, por mais simples que possa ser, é preciso ter uma solução tecnológica – o que, consequentemente, exige o trabalho de um profissional especializado em gerar os códigos, automatizar essas tarefas e possibilitar o ganho operacional esperado. A boa notícia é que, atualmente, os gestores não precisam mais ter conhecimento de programação e de tecnologia para isso. Basta adquirir uma plataforma no code capaz de modelar um grande volume de informações.  

As dificuldades de analisar os dados e gerar insights para a tomada de decisão não são exclusivas do mercado brasileiro. A Pesquisa Global de Gestão de Dados, realizada pela Experian no Brasil, no Reino Unido e nos Estados Unidos, mostra que 84% dos profissionais admitiram que a demanda por informações aumentou durante a pandemia de covid-19, mas 32% reconhecem que os dados são imprecisos e 55% simplesmente não confiam nas respostas geradas. Em outras palavras: há um problema com a qualidade dos dados utilizados no ambiente corporativo, e a solução passa por melhorar a leitura e o manuseio dessa verdadeira matéria-prima para os negócios.  

As plataformas no code surgem justamente para resolver esse problema, ao permitirem que o profissional se dedique exclusivamente à análise – sem se preocupar com captura, tratamento e disposição das informações. A expressão é bastante comum no universo da tecnologia e diz respeito a soluções que não são codificadas. Ou melhor, até têm uma complexa arquitetura de programação, mas o cliente não precisa ter conhecimento prévio para conseguir utilizá-las. A proposta é justamente agilizar esse processo, permitindo que a organização possa pensar em soluções inovadoras a partir das funcionalidades que essa ferramenta consegue proporcionar.  

No caso de uma plataforma capaz de lidar com uma grande quantidade de informações a partir de algoritmos e inteligência artificial, a programação fica sob responsabilidade da própria fornecedora da tecnologia. Ela cria todos os mecanismos necessários para gerar as análises desejadas pelo cliente, fazendo antes um trabalho de curadoria. Isto é, valida as informações para garantir que os insights reflitam de forma verídica a realidade daquele determinado fenômeno. Tudo para garantir mais confiabilidade e transparência para o gestor na hora de tomar suas decisões.  

Para empresas que utilizam a solução, é possível utilizar dados regionais, com diferentes recortes, e cruzá-los com informações macroeconômicas, setoriais de clima e de calendário. Ou seja, o profissional escolhe quais variáveis podem ser importantes para sua tomada de decisão e a solução faz o resto, entregando as relações efetivamente encontradas e insights valiosos. Dessa forma, não se espera da empresa aquilo em que ela tem dificuldade (o conhecimento tecnológico aprofundado para encontrar as relações), mas o que ela realmente precisa ter (a visão de mercado necessária para planejar e estruturar suas ações).  

Com a aceleração digital a partir da pandemia de covid-19, ignorar a importância dos dados na estratégia da empresa é um risco elevado demais. Independentemente do porte ou do segmento, não há tomada de decisão dentro da companhia que não esteja embasada em insights gerados a partir de informações coletadas nas mais diversas fontes. Se antes havia a barreira do conhecimento tecnológico necessário para lidar com essas tarefas, ela não existe mais. As plataformas no code entregam tudo pronto para o gestor – só é preciso ter coragem para colocar tudo em prática.  

Por: Bruno Rezende – CEO da 4intelligence, startup de soluções que apoiam a tomada de decisão por meio da análise de dados – e-mail: 4intelligence@nbpress.com    

By rt360