fbpx

Coronavírus invade redes sociais com incertezas e medos no Brasil e no mundo

Antes mesmo da doença COVID-19, o Coronavírus, chegar ao território brasileiro, as redes sociais já se movimentavam para o dia “D”. Em muitos países, o cancelamento de eventos corporativos, esportivos, aulas em escolas e universidades é questão de ordem. Com orientação geral para que todos evitem aglomerações em qualquer lugar. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a suspensão de todos os voos vindos da Europa. A única exceção foi feita aos voos que partem do Reino Unido. E como ficou oo Brasil? Ainda não temos comunicados oficiais, ao menos até a manhã desta quinta-feira (12), nenhuma ordem do Ministério da Saúde para as suspensões de aulas ou para que eventos sejam cancelados.

O número de casos confirmados de coronavírus no Brasil passou de 70, constatados já nesta primeira quinzena de março de 2020. 

O Ministério da Saúde contabiliza 60 casos pelo país, segundo balanço divulgado na manhã desta quinta-feira (12). Esse número, porém, não leva em conta outros 19 casos já informados por outros órgãos, segundo informou o portal de Notícias G1 no dia 12 de março. Na Ásia, neste mesmo dia, a China declara fim de pico do surto de novo coronavírus no país. Já na Europa, o número de mortes na Itália passa de mil. OMS (Organização Mundial da Saúde) pede que países redobrem comprometimento com o combate à doença. Temos então um quadro muito preocupante até o momento:

  • A China registrou 80.980 casos confirmados de Covid-19 desde o início do surto
  • Há 3.173 mortes confirmadas por complicações causadas pelo novo coronavírus na China
  • Além da China, 37.371 casos foram registrados e há ao menos 1.130 mortes
  • China declarou o fim do pico do surto de Covid-19 no país
  • Irã tem mais de mais de 10 mil casos da doença e 429 mortes
  • A Itália tem mais de 10 mil infectados e registrou 631 mortes
  • Nos EUA, que restringiu viajantes da Europa, há 1 mil casos e 31 mortes
  • Número de mortes na Itália passa de mil

Com isso, muitos invadem as redes sociais com suposições e maneiras de evitar o contágio, ou de isolar pessoas infectadas. O portal de Notícias da BBC, divulgou uma matéria positiva “10 boas notícias sobre o coronavírus em meio a “pandemia de medo”, leia aqui.

Mulher limpa o rosto de uma criança com um lenço nas ruas de Pequim, na China, nesta quinta-feira (12)  — Foto: Han Han Guan/AP
Mulher limpa o rosto de uma criança com um lenço nas ruas de Pequim, na China, nesta quinta-feira (12) — Foto: Han Han Guan/AP 

Muitas pessoas estão evitando cinemas, shoppings, aeroportos e até de sair de casa. Um dos casos é a empresária que decidiu impor quarentena a si mesma em São Paulo. Em matéria publicada pela BBC News Brasil, comenta “Pelas próximas duas semanas, a designer e empresária Marina Chevrand, de 38 anos, planeja ficar em quarentena em um apartamento em São Paulo, junto com a esposa. A decisão foi tomada pela própria brasileira, que retornou da Itália, na manhã de segunda-feira (09/03). “Acreditamos que seja uma medida importante para este momento”, diz, por telefone, à BBC News Brasil. leia mais

As redes sociais estão fervilhando de informações, como o WhatsApp e Ministério da Saúde que lançaram figurinhas sobre o coronavírus.

“Em parceria com o WhatsApp, o Ministério da Saúde lançou, nesta quinta-feira (12), um pacote de figurinhas com informações sobre como se prevenir do Coronavírus (Sars-Cov-2), causador da doença Covid-19. No total, são 11 stickers com dicas como não compartilhar utensílios, lavar bem as mãos, higienizar objetos e evitar tocar o rosto para impedir a transmissão do novo vírus. O pacote de figurinhas sobre Coronavírus pode ser baixado em celulares Android e iPhone (iOS) por meio do aplicativo Sticker.ly.”

Veja a imagem abaixo e confira a matéria no techtudo

Figurinhas ensinam como se proteger do Coronavírus — Foto: Helito Beggiora/TechTudo
Figurinhas ensinam como se proteger do Coronavírus — Foto: Helito Beggiora/TechTudo 

A Folha de São Paulo divulgou nos últimos dias de fevereiro de 2020, algo preocupante, “Menções sobre coronavírus nas redes sociais do Brasil têm mais piada do que medo. No Twitter, maior parte dos usuários que comentaram a doença fizeram piadas; apenas 10% dizem temer o vírus”. Os dados da pesquisa movimentou debates, dúvidas, medos e muitos memes, confira aqui.

Uma coisa é certa, quando realmente o Coronavírus chegar na sala de estar de muitos, o tom de voz nas redes sociais irá mudar. Tomamos precauções e bom senso nas informações e ações.

Redação RT360

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *