fbpx

O crescimento do movimento de M&As (Mergers & Acquisitions) no setor de service providers e ISPs demanda atualização da infraestrutura para ganhar visibilidade para os investidores.

O mercado de provedores e operadoras regionais está em ebulição. Fusões e aquisições no mercado de Service Providers e ISPs já chegaram com sucesso às bolsas de valores com o lançamento de diversas IPOs.

Investimentos nacionais e estrangeiros estão transformando o cenário brasileiro nas telecomunicações. Essa movimentação tem chamado a atenção de novos investidores e vem criando um ambiente de negócios mais competitivo e abrangente.

A infraestrutura de comunicação óptica é a chave para esse avanço. Uma locomotiva que vem puxando este mercado promissor. Usuários e aplicações exigem mais e mais banda e os service providers ampliam seus ativos de rede para responder à demanda e ao mesmo tempo chamar a atenção dos investidores.

Por sua vez, as grandes operadoras observam com atenção o desenvolvimento das infraestruturas dos service providers, seja para monitorar sua concorrência, como buscando parceiros para complementar seus serviços via conectividade no atacado.

Servidor, Nuvem, Desenvolvimento, O Negócio, Rede

Estes prestadores de serviços seguem ganhando mercado principalmente pelo fato de possuírem maior capilaridade e por estarem próximos aos seus clientes. Chegaram a localidades onde havia demanda reprimida e, após se estabelecerem e amadurecerem, diferenciaram a qualidade de seus serviços e infrastrutura. Ganhando escala com sua expansão regional, ampliaram seus backbones ópticos, construindo robustas redes.

Mas a evolução contínua da demanda exige uma correspondente atualização das redes. A sustentação da capacidade de crescimento, e mesmo a valoração dos ativos da empresa – fortamente ligada a esta – dependem da escalabilidade e confiabilidade da rede. Em termos de backbone, o mais natural quando se fala sobre evolução de rede óptica, é pensar em utilizar tecnologias DWDM, já difundidas em muitas das operadoras regionais. O desafio é que tais tecnologias comumente envolvem projetos complexos com altos custos de manutenção e operação.

Entretanto, há alguns anos uma nova tecnologia óptica chegou para permitir mais flexibilidade e eficiência espectral, possibilitando altas capacidades de transmissão. Trata-se da transmissão óptica coerente (Coherent Transmission). Esta tecnologia permite capacidades de transmissão que vão de 100Gb/s até 800Gb/s em um único comprimento de onda. 

A tecnologia de transmissão óptica coerente é, de forma simplificada, um sistema que combina modulação de amplitude, modulação de fase e polarização para transmitir maiores quantidades de informações através de uma fibra óptica, quando comparado ao que seria possível com um sistema DWDM. 

A Ciena é uma fabricante de soluções ópticas e é pioneira no desenvolvimento desse tipo de tecnologia. Com a solução WaveserverTM é possível alcançar escalabilidade massiva e alto desempenho. Preparada para impulsionar redes ópticas escuras (dark fiber) e também para otimizar sistemas que possuam ROADM, elevando absurdamente a capacidade de transmissão sem regeneração a longas distâncias. Esta solução também pode ser utilizada em conjunto com sistemas DWDM instalados aumentando a capacidade de serviços na rede óptica existente.

Um dos exemplos de como a família WaveserverTM pode servir para monetizar sua rede óptica, está na capacidade de transmissão de até 400 Gb/s em distâncias de 100 Km. Isso permite fornecer serviços de interconexão entre datacenters que necessitam de redundância física. A solução WaveserverTM é de simples planejamento e implementação, operação e gerenciamento, ocupando pouco espaço e baixo consumo de energia.

A plataforma ocupa apenas uma unidade de rack, tem arquitetura modular e capacidade de 2,4Tb/s, aumentando significativamente a eficiência de uso de fibra, derrubando o custo por mega. De acordo com a necessidade, é possível adicionar módulos ao equipamento e atender a outras demandas de clientes. Ou seja, o projeto com WaveserverTM pode ser personalizado para se ajustar de forma econômica a uma variedade de aplicações proporcionando de forma eficiente, uma ampla gama de serviços, escalando de forma prática para lidar com aumentos progressivos de capacidade na infraestrutura existente.

O mesmo raciocínio é utilizado para serviços de transporte para 5G. A evolução da adoção da tecnologia 5G requer uma infraestrutura óptica muito bem amparada em termos de sincronismo e capilaridade. O provedor regional de serviços possui a infraestrutura de rede instalada e pode servir facilmente como transporte do sinal 5G, tendo aí uma fenomenal oportunidade de crescimento. Mas para isto, precisa assegurar-se de possuir uma rede óptica com os adequados atributos de desempenho para capturar a demanda de atacado.

Em termos práticos, a modernização da rede deve focar na redução dos custos operacionais e no aumento da flexibilidade, capacidade e eficiência. Esses são os atributos chaves para capturar as novas oportunidades de mercado, como o transporte de 5G e a interconexão entre datacenters, mas também para aumentar o valor de mercado e a atratividade da empresa para novo capital. Soluções como o WaveserverTM da CIENA são peças chave na resposta a este desafio, diminuindo o custo por mega e adicionando qualidade, visibilidade e tecnologia à rede.

Mais informações sobre a solução WaveserverTM, clique aqui.

Por Wallace Rodrigues Wanderley 

 Wallace Rodrigues, Engenheiro de Telecom pelo INATEL há 26 anos, desenvolvendo negócios no mercado TI e Telecom, ajudando a clientes e parceiros a impulsionar seu core business.  Especialização infraestrutura de TI/Telecom e em segurança da informação e Proteção de Dados | Membro da Associação Nacional dos Profissionais de Privacidade de Dados (ANPPD®) | Colunista Especialista da RT360.

By rt360