RESILIÊNCIA NÃO É COMPETÊNCIA

por Fernando Calil

Resiliência ultimamente é uma palavra constantemente usada no mundo corporativo.
Para entender melhor o seu significado recorri ao “google” e encontrei algumas definições.
Em um contexto físico diz que a resiliência é a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar a forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica. Já segundo a psicologia é a capacidade de o individuo de adaptar-se a mudanças ou superar obstáculos, sem entrar em surto psicológico, emocional ou físico.
Depois de ler e reler por diversas vezes percebi que no mundo corporativo sempre houve a resiliência, porém não era aplicado essa nomenclatura. Fazendo uma analogia com o atual bulling e a antiga “zoação” percebi que o nome dado antigamente para a resiliência era a capacidade que o individuo tinha de “engolir sapo”.
Não tenho dúvida que a capacidade de se adaptar a mudanças é salutar, desde que as mudanças sejam feitas para alcançar um objetivo maior. O mudar por mudar não agrega valor e causa desconfortos generalizados e estruturais que acabam tirando os profissionais do “eixo”.
Muitas corporações atuais estão cheio de profissionais resilientes, porém pouco competentes em atingir resultados.

Imagem relacionada

 

por Fernando Calil

Gerente de Canal Varejo e Distribuição – Brasil

Especializado no departamento comercial (Vendas, Marketing e Inteligência Competitiva), principalmente no mercado de IoT, Automação Residencial e Materiais Elétricos.

Engenheiro de Produção formado na POLI – USP com MBA em Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas.

Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *