fbpx

Param as redes, mas não param a tecnologia, a comunicação e a vida

Por Ivone Rocha

Embora se saiba que o uso das redes sociais digitais na vida das pessoas e nos negócios seja um caminho sem volta, há fatos que mostram que é possível se conviver (e trabalhar) – nem que seja por horas – sem essas ferramentas. Isso se comprovou nesta quarta (3 de julho de 2019), quando os aplicativos Facebook, WhatsApp, Instagram e Twitter ficaram instáveis. Segundo relataram os sites G1, Techtudo, Canaltech, para citar alguns, houve indisponibilidade para envio de fotos, vídeos e áudios, e também impossibilidade de mensagens diretas, como no caso do Twitter.

E como não poderia deixar de ser, as fake news se proliferaram depois que os Apps voltaram ao normal. Houve quem dissesse que a parada foi provocada por decisão judicial, que foi ameaça por conta de possíveis denúncias como as apresentadas pelo site The Intercept Brasil, envolvendo o ministro Sergio Moro e os juízes da Operação Lava Jato. Ou ainda que hackers rastreiam outras redes para promover novas informações.

Entretanto, nada disso se comprova, até porque as instabilidades dos aplicativos de redes sociais não ocorreram somente no Brasil. Também foram afetados usuários da Argentina, Peru, Colômbia, além dos Estados Unidos e alguns países da Europa.

O problema começou a partir das 10h30, primeiro pelo WhatsApp e depois pelo Facebook e Instagram. No Twitter, observou-se que a parada ocorreu por volta do meio dia. Porém, a partir das 16h tudo começava a se normalizar. 

De todos, o Telegram, que por acaso foi o responsável pelas mensagens que geraram as denúncias contra Sergio Moro, não sofreu interrupções. 

Mesmo diante dessa dificuldade enfrentada, os negócios continuaram funcionando com o apoio da tecnologia e da comunicação. Bolsas fizeram seus pregões, parcerias previstas se concretizaram, acordos e compromissos não deixaram de ser assinados e vida seguiu (quase) como sempre.

Por Ivone Rocha

https://www.linkedin.com/in/ivonerocha/

Consultora de negócios eletrônicos e pedagógica, professora universitária de cursos de comunicação, marketing e negócios, mestre em políticas públicas, MBA em Tecnologia da Informação e e-Business com formação em jornalismo. Diretora do Instituto Devir Educom. Gestora do Projeto Memórias em Rede de Santos. Gestora e professora do programa de cursos De Olho na Rede (Facebook.com/deolhonaredecurso)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *