OS HÁBITOS DE UM EMPREENDEDOR DE SUCESSO NA WEB

LinkedIn, Instagram, Facebook ou WhatsApp? Não é fácil marcar presença com tanta oferta; confira a solução encontrada por Carlos Tristan, da Squid

Carlos Tristan, empreendedor de 29 anos, é um dos fundadores da Squid, plataforma de marketing com base em influenciadores digitais — mas ele próprio prefere passar longe das redes sociais, para evitar ter a vida pessoal engolida pela tecnologia.Squid foi um das selecionadas da lista das 100 Startups to Watch 2018, resultado de uma parceria entre as Pequenas Empresas & Grandes Negócios e Época NEGÓCIOS, da Editora Globo, EloGroup e Corp.vc.

Confira, abaixo, seus hábitos na internet:

LinkedIn
Divulgação da marca: “O LinkedIn é a minha única rede social. Uso com objetivo comercial, até meio ‘cara de pau’ mesmo, para marcar reuniões e explicar o trabalho da empresa para possíveis clientes, além de falarmos com startups estrangeiras que tenham perfil parecido ao nosso. Também falo bastante sobre marketing e sobre a jornada empreendedora.”

Instagram
Velocidade: “Não uso pessoalmente, mas sim como parte do trabalho da Squid, devido à sua importância como ferramenta de inserção. É um aplicativo que exige um volume maciço de conteúdo, mas que permite uma velocidade enorme na disseminação dos posts. É indicado para campanhas de marketing que tenham uma exibição mais direta da marca dos clientes.”

YouTube
Profundidade: “O YouTube é uma ferramenta oposta ao Instagram. Demanda mais dedicação na produção e no roteiro, além de melhor equipamento. Assistir aos vídeos consome tempo. No entanto, permite trabalhos mais aprofundados.”

Spotify
Felicidade no trabalho: “Oferecemos acesso ao Spotify como benefício aos funcionários. Funciona como parte da criação de uma cultura interna de felicidade. Queremos evitar aquela coisa de ‘que droga, amanhã é segunda-feira’. Engajar o time é uma forma de melhorar a produtividade de toda a empresa.”

Mobilidade
“Uso muito o serviço de aluguel de bicicletas Yellow nos momentos em que o trânsito está carregado demais para os carros dos aplicativos. Outro dia, eu precisava ir a um compromisso e o táxi ia custar R$ 30 e levar 45 minutos para chegar ao local; usando a bicicleta, levei apenas 20 minutos. Melhor ainda, gastando só R$ 2.”

Sem pressa
“Prefiro usar o serviço de mensagens Slack. A alternativa mais comum, o WhatsApp, cria uma urgência muito grande e acelera demais a gente, quando no fundo não precisamos correr tanto. O Slack se integra a outros aplicativos e centraliza boa parte das atividades da empresa. Isso faz o fluxo de mensagens ser recebido de modo mais natural.”

Sem perder a humanidade
“Tenho em casa a assistente digital Alexa, para realizar algumas automações com eletrodomésticos, perguntar a temperatura, chamar um táxi e outros serviços. Só precisamos tomar cuidado para não acabarmos sem cuidar de outros fatores humanos, como a capacidade criativa.”

Tempo offline
“A cada duas semanas, vou para Cotia (SP) para um dos meus hobbies favoritos: fabricar cerveja artesanal. Quando fico por lá, faço questão de me desconectar totalmente, sem televisão nem celular. É um período só para relaxar e conversar com os amigos”.

Carlos Tristan, um dos fundadores da Squid, plataforma de marketing com base em influenciadores digitais (Foto: divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *