Mundo dos negócios versus tráfego de dados e privacidade corporativa

O que move o mundo em termos de negócios?

Por Wallace Rodrigues Wanderley

 De fato existe um sem número de respostas para essa questão.
Sempre o poder econômico tende a mover os negócios no mundo. Esse poder já foi concentrado em propriedades latifundiárias, indústrias, dentre outras.
Atualmente, em tempos de bloqueios disputas tecnológicas entre superpotências, entendo que esse movimento do mundo está definitivamente vinculado à Informação.

Falamos de volumes maciços de informação. Para exemplificar, vamos concentrar somente nos dados móveis já que em média, o americano fica 144 minutos no smartphone e no Brasil, incríveis 4 horas e 21 minutos diárias. Segundo estimativas da Cisco Visual Networking Index (VNI) Global Mobile Data Traffic Forecast, o crescimento do tráfego de dados móveis global até 2021 atingirá 49 exabytes por mês ou 587 exabytes anualmente (O que é possível guardar em um exabyte: 314,1 bilhões de músicas em MP3 (tamanho médio de 3,5MB cada). 587 exabytes é equivalente a impressionantes 122 vezes mais do que todo o tráfego móvel global gerado apenas 10 anos antes, em 2011.

Estamos na era da transformação digital, onde as empresas de todos os segmentos dependem cada vez mais dos dados para prestar os serviços e criar produtos cada vez mais customizados para seus clientes. Isso gera um “ecossistema” de negócios que está em todos setores como saúde (healthcare), varejo (shopping, compras), meio ambiente, poder público, econômia e indústria.

A informação gerada necessita de infraestrutura tecnológica para circular e as plataformas mais comuns utilizadas para interagir e tratar os dados utilizam tecnologias que servem de base para a aceleração da inovação (Cloud, BigData, Mobilidade, Redes Sociais – social business).

 Money, money, money

Os dados circulantes no mundo são combustível para a economia, movimentando um mercado de 7.8 Trilhões de Dólares. Na era digital, a moeda forte de troca é a informação, acessível e universal. Essa tendência de crescimento do volume de dados trafegados é muito perceptível nos meios de interação entre usuários (mídias sociais, serviços de pagamentos, vídeo, etc.). E já são realidade as tecnologias que permitem a circulação de veículos conectados e autônomos, diagnóstico médico remoto, assistentes/agentes digitais, prédios inteligentes, indústria 4.0, agronegócios, indústria dos games online. Na mesma linha, contribuem para o crescimento do fluxo de dados, o pleno desenvolvimento dos meios de transmissão em banda larga fixa (fibra) e móvel (5G).

 Todas as fontes que pesquisei são unânimes ao afirmar que informação é a moeda de troca mais valiosa na era digital. A análise de dados (data analytics) trata da principal ferramenta para extrair recursos e avaliar comportamentos para tracionar os negócios em praticamente todas as vertentes existentes e que vão existir. Imagine que data analytics pode criar produtos que você nem sabe ainda que precisa e pode melhorar muito sua experiência como usuário de um determinado produto. 

 E a sua privacidade?

Sinto lhe informar mas, segundo informações contidas na matéria da ComputerWorld (Data e Analytics são motor de negócios digitais, diz Gartner – 29/05/2019 – Solange Calvo), a Gartner chega à conclusão que a privacidade é virtualmente impossível e a dica é cuidar dos seus dados e exigir que todas as empresas que utilizam seus dados também o façam com segurança.

Felizmente existe a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD ou LGPDP), nº 13.709/2018, legislação brasileira que regula as atividades de tratamento de dados pessoais e que também altera os artigos 7º e 16 do Marco Civil da Internet.

Sempre tive como premissa que ninguém melhor que nós mesmos para cuidar das informações que adicionamos às redes, e ninguém melhor que nós mesmos para cobrar que as empresas que utilizam nossos dados o façam de forma correta, pois a tecnologia está evoluindo e existe muita coisa boa para aproveitar nessa onda tecnológica.

E você o que deve fazer?

 A informação requer informação! Para que possamos ficar tranquilos com as nossas informações que estão circulando na rede, devemos ter a consciência que se informar é necessário para securizar e controlar ao máximo possível seus dados. Tome as rédeas das informações que adiciona à rede.

Veja o comentário da consultoria PwC em seu estudo sobre inovação.
“Acreditamos que a Terceira Onda Digital está prestes a começar e será impulsionada por consumidores que reassumirão a sua identidade digital e saberão extrair valor dela. Isso se dará por meio de “marcas conhecidas”, que agreguem demanda de diferentes grupos de consumidores ou estilos de vida, fornecendo plataformas para gerenciar impactos e consumo digital.” – PwC Brasil.

E quem é você nessa história?

Você é o motor desse mercado bilionário, seus dados valem ouro para as empresas, crie a mentalidade de checar quais dados vai disponibilizar e onde vai disponibilizar essas informações. Não há nada de mal em fornecer insumo para criação de produtos que serão benéficos para milhares de pessoas, apenas tenha cuidado. Cuide bem deles e cobre das empresas a devida transparência no trato com suas informações, afinal, elas valem muito e movimentam o poder econômico mundial.

Mais uma opinião

Por Wallace Rodrigues Wanderley 

Especialista no mercado TIC, no desenvolvimento de modelos e estratégias de negócios em telecomunicações, FTTH, infraestrutura de TI e CFTV. Engenheiro de Telecom/Inatel.
Business Manager | Negócios
linkedin.com/in/wallacerw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *