Mercado sem crise no Encontro Nacional Abrint 2019 para as Operadoras e Service Providers

Por Wallace Rodrigues Wanderley

Nos últimos dias 06 e 07 de junho tive a grata oportunidade de visitar a Abrint 2019.

Resultado de imagem para abrint 2019

Service providers ou operadoras regionais, fornecedores de soluções lotaram os dois andares do Centro de Convenções Frei Caneca e receberam visitantes de todo o Brasil. Um evento que, na contramão de vários outros mercados de tecnologia, estava com movimento muito empolgante e promissor.

Visitei estandes de diversos provedores de soluções no intuito de encontrar novidades e entender melhor a movimentação desse mercado. Trouxe aqui três informações que servem de exemplo para mostrar a situação desse mercado.
Pude observar que a fibra ótica continua despontando na liderança das opções de tecnologia utilizada pelos Service Providers com avanços na área de transmissão. Não menos importantes estão as soluções LTE, Satélite, infraestrutura e soluções de gestão.

Imagem relacionada

FTTH em evolução

No mercado tradicional em fibra ótica, visitei a FiberHome, ZTE e Nokia, que dividem os clientes de Fiber To The Home FTTH (Fibra até em casa em tradução livre). Esse é um mercado quase comoditizado, pois além das tradicionais fornecedoras, existem muitas outras empresas fornecendo essa solução, inclusive fabricantes brasileiros. Com a quantidade de ofertas abundantes, esse tipo de solução esta com driver em preços, e as empresas que oferecem novidades acabam tendo um pouco de vantagem na competição.

É certo que a demanda por taxa de transmissão, e quantidade de aplicações rodando sobre a infraestrutura FTTH tem motivado os fabricantes a investir em tecnologias que entregam mais taxa de transmissão e gerenciamento.

Milton Sasaki, Product Manager FTTH na FiberHome explica:
 “Na nossa visão a demanda crescente por mais banda irá continuar, pois cada vez mais se encontram serviços que necessitam de velocidade no tráfego de dados para se ter qualidade. Para isso, a FiberHome investe cada vez em tecnologia, qualidade e na redução do investimento por parte dos ISPs. Algumas das novidades estão na  nova Mini OLT de 1 RU possui 16 portas GPON; fonte redundante com opções CA, CC e híbrida; além disso na parte de uplink contamos com 2 portas de 10GE óticas, 2 portas de 1GE óticas e 2 portas de 1GE elétricas. Para grandes capacidades a Fiberhome trouxe a AN6000-17 com capacidade para 17 placas de serviços, fontes CC modulares e redundantes, tecnologia de OLT virtual e a prova de futuro (estrutura já pronta para o XGPON, 25GPON e 50GPON).”

João Paulo Faustino Santos – Product Manager FiberHome, complementa: “A mini OLT com design compacto e baixo investimento em CAPEX é ideal para pequenas cidades, eventos e condomínios. Ao passo que as OLT virtuais permitem a criação de diferentes perfis cada um com seus próprios parâmetros de configuração dando agilidade na operação”.  João Paulo é especialista em telecomunicações com vasta experiência em projetos FTTH, DWDM, conquistados em anos de trabalho na ALGAR. 

A visão do Service Provider

As pessoas estão cada vez mais dependentes dos serviços de internet e com a crise no mercado de trabalho, mais e mais pessoas encontram formas de trabalhar por conta própria, muitas vezes a partir de casa. Os serviços de dados (internet) se transformam em itens de primeira necessidade, como a agua, energia, gás. Definitivamente o mercado de Service providersse prepara dia após dia para atender a esta crescente demanda incluindo serviços de TV, voz em sua rede e, de certa forma se beneficiando dessa crise, e da falta de capilaridade das operadoras tradicionais no atendimento aos clientes.

Genésio Neto, sócio proprietário da G2G Telecom, Service Provider que atua em seis cidades do interior de São Paulo, atento a essa crescente necessidade dos usuários, investe em atendimento e diversificação de serviços.
Cada vez mais próximo de seu cliente, a G2G é parte de um projeto piloto em parceria com uma operadora de TV por assinatura. Nesse piloto a operadora de TV utiliza sua infraestrutura e base instalada de clientes para crescer em Market Share na região da G2G. A G2G se beneficia utilizando o “brand” da operadora como impulsionador de marketing e nessa relação simbiótica a operadora ajuda no valor de manutenção da sua rede garantindo a qualidade do serviço. Desta forma, além dos serviços de internet, voz, Interfonia, CFTV IP via Fibra, a G2G fornece pacotes de TV por assinatura, bem como sinal local de TV.

Falando sobre atendimento diferenciado, Genésio explica que desenvolveram um (App) aplicativo de atendimento, onde o cliente tem todas as informações sobre os serviços que está contratando, podendo testar se sua conexão esta ativa ou não, pagar sua fatura com cartão, enviar mensagens para todas as áreas da empresa, atualizar seu cadastro, negociar dividas e até fazer o auto desbloqueio de serviços. O App se tornou uma ferramenta primordial para um constante contato com o cliente.

 “Este mercado não tem crise, pois a demanda é continua e crescente, desta forma somos impulsionados a planejar e investir mês a mês. O planejamento é inevitável, considerando nossos recursos limitados, uma vez que não temos acesso a subsídios com menor custo de governos ou outros. Precisamos manter nosso principal ativo, o cliente, atendido com excelência, isso garante crescimento e adesão em carteira. Serviços diferenciados e aderentes às novidades de mercado e tecnologias são partes integrantes do nosso crescimento”.

Genésio Neto – Diretor G2G Telecom – Engenheiro Telecom, 27 anos de experiência na área telecomunicações. 

O LTE e as áreas não atendidas por fibra 

Para os service Providers que atendem a áreas de difícil acesso, como as áreas suburbanas e rurais, onde a fibra ótica não é nem será viável, a empresa Israelense TelRad Networks aposta na tecnologia LTE Fixa para conectar casas e empresas, o que difere LTE móvel e LTE fixo é que a móvel tem por objetivo conectar somente pessoas, e a fixa atende a casas e empresas.

A Telrad Networks, logo da compra da divisão WiMAX da Alvarion, desenvolveu sobre a mesma plataforma de hardware o TD LTE, o LTE Fixo. Contando hoje com mais de 600 operadoras no mundo e seis service Providers comercialmente ativos no Brasil.

Ricardo Pence (Diretor de Canais CALA (Caribe & Latin America)) revela que no Brasil, a tecnologia LTE Fixa para operadoras regionais oferece uma solução única e exclusiva, “Fibra qualquer empresa consegue ter, o LTE Fixo em 2.5 GHZ e exclusivo para aqueles service Providers que possuem essa frequência” e acrescenta “essas operadoras possuem ouro em suas mãos e conseguem ter um baixo nível de investimento inicial com um retorno sobre investimento (ROI) em curto prazo, por meio de um projeto com o conceito de Pague na medida em que cresce ou “Pay as you grow” em inglês”.
A Telrad montou um modelo de negócios especialmente para atender ao mercado brasileiro para as operadoras que possuem frequência 2.5 GHZ.

Seja em FTTH, infraestrutura, satélite, LTE, acessórios, serviços ou aquisições e fusões, negócios de todos os tipos estão crescendo nesse mercado de service Providers. Ainda há muita coisa para estudar sobre esse mercado. Certamente, é necessário muito planejamento e muito estudo para utilizar toda essa tecnologia disponível para chegar a modelos de negócios sustentáveis que consigam atender bem ao cliente, que é a razão de todo esse sucesso.

Por Wallace Rodrigues Wanderley 

Especialista no mercado TIC, no desenvolvimento de modelos e estratégias de negócios em telecomunicações, FTTH, infraestrutura de TI e CFTV. Engenheiro de Telecom/Inatel.
Business Manager | Negócios
linkedin.com/in/wallacerw

Contatos:
Milton Sasaki –FiberHome –  www.linkedin.com/in/miltonsasaki
João Paulo Faustino Santos –FiberHome – www.linkedin.com/in/joao-paulo-faustino-santos
Genésio Neto – G2G –  linkedin.com/in/genesio-neto-53552229
Ricardo Pence – Telrad – linkedin.com/in/ricardopence

2 comentários em “Mercado sem crise no Encontro Nacional Abrint 2019 para as Operadoras e Service Providers

  • 19 de junho de 2019 em 10:01
    Permalink

    Excelente oportunidade de leitura para conhecer mais sobre atuação e oportunidades criadas pelos provedores de serviço. Ótimo artigo!

    Resposta
    • 19 de junho de 2019 em 11:11
      Permalink

      Olá Pedro Zanetti, muito obrigado pelo seu comentário. Esses comentários servem de combustível para que possamos continuar. Fico feliz por ter conseguido mostrar um pouco do que vi. Saúde e prosperidade para você. Forte abraço. (Wallace Rodrigues Wanderley)

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *