Empreendedor ou aventureiro? Quem fica no mercado?

As grandes metrópoles brasileiras constantemente são invadidas por muitos empreendedores, empresários e até aventureiros (que são a grande maioria). De acordo com a pesquisa do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), 48% das empresas encerram suas atividades depois de três anos de vida no Brasil.

Sabemos que no Brasil não é fácil empreender, a quantidade de tributos (impostos, taxas e contribuições) é muito grande, o que ajuda muito em sua mortalidade. Mas não podemos culpar só os tributos. A falta de informação e de preparo dos empresários também é relevante.

O empreendedor busca oportunidades, tem iniciativa. Uma característica importante é sua persistência e seu comprometimento com o seu negócio. Normalmente ele corre riscos calculados, quando pensa em investir, estabelece metas, busca informações e principalmente se planeja. O mercado está cada vez mais competitivo, e ele sabe que todo negócio precisa de investimento e que existe um tempo de maturação.

O Aventureiro é aquele que começa um negócio movido pelo sonho de empreender ou por enxergar em determinado ramo uma oportunidade. É, por exemplo, aquela pessoa que começa um negócio que está “na moda”. Ele não possui experiência nem em gestão nem na área. Sua equipe é formada por amigos e a remuneração é desorganizada. O controle financeiro é mínimo e, muitas vezes, o empreendedor age de forma precipitada e adquire dívidas com as quais não consegue arcar. Diante disso, o negócio não cresce e, em pouco tempo, ele acaba fechando as portas.

Porém, sendo empreendedor ou um aventureiro, o mercado brasileiro é próspero e com muitas possibilidades. Até mesmo um gestor com poucas habilidades, se pegar um nicho segmentado e com as vendas já em andamento, poderá ter bons resultados. Poderá.

Segundo pesquisa realizada pela GEM (Global Entrepreneurship Monitor), Brasil chegou a 38% na TTE (Taxa de Empreendedorismo Total).O número indicado pela pesquisa significa que em torno de 52 milhões de brasileiros possuem um negócio próprio. E esse número só tende a aumentar.Na pesquisa realizada em 49 países, o Brasil se sai muito bem. Quando considerado os países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o Brasil se encontra com a maior taxa. A China, o segundo colocado se encontra com 26,7%. Já a Rússia, última colocada aparece com 8,6%.

A diferença para outros países mais desenvolvidos também é grande. Os Estados Unidos, por exemplo, apresenta uma taxa de 20%, inferior até mesmo a China. Apesar de ser uma potente força, os países emergentes demonstram uma alta e valores maiores que os já estabilizados como potências.

Perfil empresarial

Em pesquisa realizada pela CONAJE (Confederação Nacional de Jovens Empresários) com cerca de 5 mil jovens empresários, de 18 a 39 anos, foi constatado que microempreendedores são a maioria no país.

Faturando até R$ 360 mil por ano, 35% desses empresários são mulheres, assim, fazendo dos homens a maioria com 65%.

No total, esses 5 mil jovens se encontram 49,5% na região sudeste, 21,9% na região sul, 15,6% na região nordeste, 4,3% na região norte e 8,8% na região centro-oeste.

Quando se chega nas informações em relação à faixa etária, a com maior número de empresários é dos 26 aos 35 anos. Sendo que os jovens de 18 a 20 anos representam apenas 3%.

Faturando até R$ 360 mil por ano, a taxa desses microempresários que têm ensino superior completo chega a 73%, enquanto 9% possui apenas ensino médio.

Ainda na pesquisa, foi identificado que 57,9% estão na área de serviços e apenas 30,1% na área de comércio, trazendo a necessidade de sistemas de gestão. Isso, para que se possa ter um controle maior, sem correr o risco de erros e prejuízos para a empresa.

Contudo, com todos esses dados e da importância de um planejamento estratégico para um sucesso desejável muitos aventureiros ainda persistem. De certo, pela tentativa e erro, ainda acreditam no sonho de uma possível solução fácil sem muitos percalços para se firmar em qualquer mercado.

Fontes de Pesquisas:
Sebrae, Exame, EGestor: https://www.egestor.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *