3 MANEIRAS DE SE PREPARAR PARA 2019

Conheça os principais passos para gerar inovação, alcançar metas e faturar alto no próximo ano

Diante do atual cenário, é praticamente impossível prever como ficará o ambiente de negócios brasileiro em 2019. Os consultores recomendam fazer planos com três enfoques diferentes: pessimista, conservador e otimista.

“As empresas devem estar preparadas para o que pode dar errado, e definir alternativas no caso de uma variação acentuada de câmbio, por exemplo, ou da necessidade de renegociar com colaboradores”, afirma Márcio Iavelberg, da consultoria Blue Numbers. “Quem não planejar direito vai passar a maior parte de 2019 apagando incêndios.”

O planejamento estratégico reduz o impacto de fatores imprevisíveis, garante o controle sobre os negócios e permite correções de rumo. “O objetivo é obter uma visão panorâmica da empresa para escolher a melhor rota a seguir”, diz Eduardo Bezerra, da consultoria Exection. “Conhecer as vulnerabilidades é o primeiro passo para se precaver”, afirma Marcelo Nakagawa, professor de empreendedorismo do Insper.

Abaixo, confira três maneiras de se preparar para 2019, de acordo com a situação da sua empresa:

Para uma empresa iniciante

“A metodologia do planejamento é a mesma par aqualquer empresa, mas as perguntas são diferentes para empreendedores iniciantes”, diz Bezerra, da Exection. “Em geral, a falta de experiência é compensada pelo planejamento estratégico e se beneficia da simplicidade do funcionamento interno”, afirma Iavelberg, da Blue Numbers. Em função da vulnerabilidade maior das empresas jovens, Nakagawa, do Insper, recomenda a utilização do Orlamento Base Zero, que analisa todos os custos e os divide entre fundamentais, estratégicos (utilizados na execução das metas) e acessórios (que talvez sejam dispensáveis).

Para uma empresa em dificuldades 

Neste caso, é preciso dar ênfase à compreensão do mercado-alvo e do desempenho da empresa no último exercício. Quais os motivos que fizeram a demanda diminuir ou estagnar? O produto ou serviço ainda tem espaço no mercado? É possível fazer inovações efetivas e que não causem mais problemas, em função do eventual custo mais alto? Dá para cortar mais gastos? “Caso a situação se mostre muito adversa, o empreendedor deve ter a coragem de fazer algo que não é muito habitual no Brasil: preparar-se para encerrar o seu negócio com o menor prejuízo possível, evitando entrar em falência, afirma o especialista do Insper.

Para uma empresa em alta 

Negócios de grande porte e produtos de indústria complexa, como óleo e gás, em geral trabalham com planos de metas d elongo prazo, de até cinco anos (esses períodos vêm diminuindo ultimamente, devido às incertezas do cenário macroeconômico). O planejamento da empresa que vai bem deve focar na manutenção dos indicadores e nas possibilidades de expansão, com a abertura de mais unidades e a conquista de novos mercados – sem desconsiderar a hipótese de piora do cenário. Quando se planeja para o melhor cenário, é inevitável pensar em parcerias, contratação de mão de obra temporária e projetos sob encomenda.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *